Fotos:Tuane Eggers e Thiele Elissa


"Orquestra de Falcões"
Performance 
Bienal do Mercosul
2018


A performance Orquestra de Falcões foi realizada na praça da Alfândega, na primeira noite da 11ª Bienal do Mercosul (2018).  Contou com percurssionistas da escola de samba Imperatriz Dona Leopoldina, instrumentistas (guitarra e violoncelo) e o vocal de Filipe Catto e Valéria. A direção musica foi assinada pelo músico Caio Amon.
Num primeiro momento, ao ritmo marcante da percurssão, Catto e Valéria, permaneceram minutos imóveis, frente a frente, tendo em suas cabeças capuzes como aos colocados em aves de rapina para adestramento. Ao parar a percurssão, os capuzes foram retirados libertando a voz. Numa harmonia entre canto e percurssão foram embaladas as músicas: Meu Deus, Meu Deus, Esta extinta a escravidão? (samba enredo Paraíso do Tiuti, 2018), Pedir Adeus (Caio Amon) e Não deixe o samba morrer. O trabalho foi apresentado em meio a crise institucional da cultura na cidade de Porto Alegre, que em 2017/2018 cortou a verba para a realização do carnaval na cidade.




Orquestra de Falcões - Romy Pocztaruk _ 11ª BIENAL DO MERCOSUL from romy pocztaruk on Vimeo.